domingo, 6 de novembro de 2011

The Satanic Bible / A Bíblia Satânica - Review

A Bíblia SatânicaA Bíblia Satânica by Anton LaVey

My rating: 4 of 5 stars


This bible is composed of four books, each one representing an element and a demon: Fire - The book of Satan; Air – The book of Lucifer; Earth – The book of Belial; Water – The book of Leviathan.

In my opinion, the two first books are pretty interesting, since they describe the philosophy behind Satanism. By reading them, we discover a vision of life based on something we all know, but sometimes we refuse: our instinct and our willing; and LaVey tells us there is nothing wrong with that, despite all that we have learnt based on the Christian morality that rules our society. I realy realy enjoyed reading this, and I truly recommend The Satanic Bible, mainly because of this first part.

The other books describe the ritualistic part of the Satanism – the part related to magic (yes, real magic). These chapters remember us that Satanism is a religion afterall, and not just a philosophy. Well, this was interesting too, but while the first part of the book made me feel like I was reading something about me, something I felt related with, this part made me feel like a spectator, a curious, somebody outside this. That ritualistic and magic part is definitely not me, but I can't help find it fascinating, because it really is. If you believe what you read, you discover that you have some powers and some spiritual resources you might want to explore someday; but I’m a little bit skeptic about magic, so I prefer to continue being just a curious about this matter, and not a practitioner.



View all my reviews



-----------------------
PT:

Esta bíblia é composta por quatro livros, cada um representando um elemento e um demónio: Fogo - O Lovro de Satan; Ar - O Livro de Lúcifer; Terra - O Livro de Belial; Água - O Livro de Leviathan.

Na minha opinião, os dois primeiros livros são bastante interessantes, pois descrevem a filosofia por detrás do Satanismo. Ao lê-los, descobrimos uma visão da vida baseada em algo que todos conhecemos, mas que por vezes recusamos: o nosso instinto e a nossa vontade; e LaVey diz-nos que não existe nada de errado neles, apesar de tudo aquilo que aprendemos com base na moral cristã que reina na nossa sociedade. Eu gostei mesmo bastante desta leitura, e recomendo vivamente A Bíblia Satânica, sobretudo devido a esta primeira parte.

Os outros dois livros descrevem a parte ritualística do Satanismo - a parte ligada à magia (sim, magia!). Estes capítulos lembram-nos de que o Satanismo é, de facto, uma religião, e não apenas uma filosofia. Bem, esta parte também foi interessante de ler, mas enquanto que a primeira parte do livro me fez sentir que estava a ler algo sobre mim, algo com o qual eu me identificava, esta parte fez-me sentir como um mero espectador, um curioso, alguém de fora. Esta parte ritualística e mágica não é, definitivamente, muito a minha cara, mas não pude deixar de achá-la fascinante, porque, de facto, é mesmo. Se acreditares naquilo que lês, descobres que tens certos poderes e meios espirituais que talvez queiras vir a explorar um dia; mas eu sou um pouco céptica em relação a magia, portanto, prefiro continuar a ser apenas uma curiosa na matéria, e não uma praticante.