quarta-feira, 15 de julho de 2009

Quantos caminhos há para casa?

Há uma infinidade! Porque é que faço sempre o mesmo?

Hoje escolhi um que não conhecia. "Má ideia!" irá certamente pensar quem já me conhece (ou quem sabe que não possuo qualquer sentido de orientação e que até em espaços interiores e pequenos me perco). "Excelente ideia!", pensei eu, pois não me apetecia cruzar-me com muita gente hoje. E, realmente, foi. =)

É desafiante andar por ruas que não conhecemos, à procura do caminho certo. Até dá algum gozo a sensação da possibilidade de estarmos perdidos (porque como sabemos que facilmente podemos perguntar a alguém que passe por nós onde fica determinado ponto de referência, fica sempre uma sensação de segurança connosco). E correu bastante bem desta vez, orientei-me lindamente e fui dar onde queria sem ter de voltar atrás. Para quem não possui qualquer sentido de orientação - ou pelo menos assim o julga - é bastante bom para o ego superar pequenas provas destas.

Tem-me feito muito bem andar sozinha por Lisboa, hehe.


Lanço então o desafio a todos: E que tal escolheres um caminho para casa diferente? E que tal um que nunca tenhas experimentado? E que tal pores o teu cérebro a trabalhar enquanto voltas para casa, em vez de ligares o piloto automático?

Porque não?
Atrevam-se! ;)