quinta-feira, 23 de julho de 2009

Não quero a tua música!

Mas não quero mesmo!

Um dos meus sonhos utópicos é viver num mundo onde não tenha de levar com a música dos outros. É horrível, estou farta!

Nunca vos aconteceu?

Eu não gosto da música que a maior parte das pessoas ouve. E tenho a certeza que a maior parte das pessoas detestaria ouvir a música que eu oiço. Tenho um gosto ecléctico, mas particular. Muito particular! Não é para me armar que o digo - apenas constato um facto. Não conheço as "músicas da moda", ninguém conhece as minhas músicas "esquisitas". Não o digo com vergonha, mas sim com orgulho. Também sei que, felizmente, há muitas pessoas como eu. =)

Eu não oiço rádio, não vejo televisão - uma tentativa de fuga vã, pois a música de má qualidade persegue qualquer um, mesmo os eremitas que tentam isolar-se do mundo. Os ataques surgem quando menos os espero, em qualquer lugar...

Para saberem do que me queixo em concreto, imagine-se, por exemplo, este dia hipotético que condensa todos os ataques musicais de que vou sendo alvo regularmente, mas que normalmente estão dispersos pelos dias:

*Acordo de manhã, na aldeia, dirijo-me até Évora para apanhar o Expresso para Lisboa. No Expresso, o rádio ligado... Já apanhei de tudo, mas o pior (e mais cómico) foi mesmo uma rádio de música romanticopimba de música brasileira e portuguesa. É de vómitos.

*Chego ao terminal rodoviário carregada de malas, apanho um táxi para casa. No táxi, o rádio ligado... Também se apanha de tudo; o pior (e bastante cómico) que já apanhei acho que foi mesmo a Rádio África [cena que nunca mais vou esquecer: a minha irmã e o taxista a cantarem a música que passava "Dêbaixo duis seus cárácóóóóis..."].

*Agora vem a situação que mais me irrita. Chego a casa e almoço, apetece-me ir às compras depois, apanho um autocarro da Carris. O autocarro da Carris... Porque caralho é que tem de haver sempre um chunga no autocarro com a sua música chunga, em altos berros, a sair do telemóvel???! Será para vermos que ele tem mau gosto? Só pelo aspecto da pessoa vê-se logo, não era preciso tanto! Será para vermos o telemóvel topo de gama que até serve de mp3? Ah, obrigada, nunca tinha visto um desses antes! =O Será apenas porque é estúpido? Bem, para mim, esta é a hipótese mais plausível.
Hoje sofri um atentado desses. Estive a uma inspiração de dizer ao rapaz "Não tens fones?!!? É que eu não quero ouvir a tua música!". Não disse. Fiquei calada. E frustrada. Fica para a próxima.

*Chego ao centro comercial. Ok... Cada loja cada tiro. Essa coisa da música nas lojas é muito bonita, sim. Pronto, nem preciso de dizer mais nada, pois não?

*Convidam-me para sair à noite. Bairro alto, lá vou eu. Para os bares de sempre, ouvir os sucessos da night... yay! =|

*Faz-se tarde, mas ainda não há metro. Arranja-se boleia no carro de alguém. Porreiro! ...O pessoal tem sono, é preciso algo que desperte o condutor. Abrem-se os vidros e liga-se o rádio. Já perceberam onde quero chegar, não já?...


Depois de situações como estas, não imaginam como às vezes sabe bem chegar a casa e drogar-me com música que me dê prazer ouvir. É impossível controlar a música que a cidade ouve, eu sei - daí ter assumido que era um sonho utópico, logo ao início. Além de ser impossível, não faria sentido: se eu não gosto de levar com a música que o mundo ouve, o mundo também não tem nada que levar com a minha, nem eu gostava que isso acontecesse. Mas, às vezes, é frustrante não poder parar uma música que incomoda...

Quando um dia tiver casa e carro próprios (E SÓ MEUS!) vou vingar-me. A minha música vai estar presente neles a toda a hora, e quem lá entrar e não gostar que se foda!





ps: Antes que alguém comente isso, não gosto de andar de mp3.